A arte da diversificação

3 min para ler 24 fev 22

Queira por favor consultar o glossário para uma explicação sobre os termos de investimento utilizados ao longo deste artigo.

Acreditamos que a diversificação do investimento é uma das regras de ouro para investir com sucesso. Por diversificação, neste contexto, entende-se investir numa boa combinação de tipos de ativos para não ter “todos os ovos no mesmo cesto”. Tal pode ajudar a repartir o risco do seu investimento e, ao longo do tempo, uma boa combinação dá-lhe a possibilidade de obter retornos mais constantes. 

O valor dos ativos de um fundo pode diminuir e aumentar, o que fará com que o valor do investimento desça e suba, pelo que o investidor poderá receber menos do que inicialmente investiu.

Quando os mercados bolsistas estão em alta, é natural que se questione se valerá a pena investir em outra coisa que não fundos de ações (ações numa empresa), enquanto em períodos menos estáveis a segurança das obrigações poderá ser vista como uma opção mais atrativa. Mas a própria natureza do investimento significa que não há garantias do que irá acontecer no futuro.

Consideramos que nunca deverá investir seguindo as tendências, as altas do mercado ou os rumores. De igual modo, não deve investir o seu dinheiro e, depois, dormir à sombra dos louros. Acreditamos convictamente que cada investidor precisa de considerar o seu horizonte de investimento, os seus objetivos financeiros e o risco que está disposto a assumir. Em seguida, importa ficar de olho no investimento e realizar as alterações necessárias para manter os investimentos alinhados com os objetivos originais.

A relação entre os mercados e os investimentos muda constantemente, tal como a relação entre o risco e a recompensa. Assim, todos os investimentos devem ser geridos de forma proativa.

O quê, onde e quando

Há um equívoco comum de que ter uma boa diversificação significa repartir o dinheiro por um vasto conjunto de gestores de fundos ou prestadores de serviços de investimento. Não é necessariamente o caso. Os seus retornos globais e a exposição ao risco são determinados, sobretudo, pela escolha da(s) classe(s) de ativo(s), pela região geográfica e pelo momento em que começou a investir.

Expandindo um pouco mais, também é possível gerar retornos diversificados a partir do leque de participações nas quais as classes de ativos podem investir. Por exemplo, alguns fundos de obrigações poderão incluir obrigações de dívida pública – títulos de rendimento fixo emitidos pelo Governo, que normalmente pagam uma taxa de juro fixa ao longo de um determinado período de tempo, no termo do qual o investimento inicial é reembolsado – e obrigações de dívida de empresas – títulos de rendimento fixo emitidos por empresas. As obrigações de empresas podem oferecer juros mais elevados do que as obrigações emitidas por Governos porque, muitas vezes, são consideradas um pouco mais arriscadas. As obrigações europeias e globais, e até mesmo as moedas, têm o potencial de se comportar de forma diferente, assim acrescentando outro nível de diversificação ao seu investimento.

Formas de diversificar os seus investimentos

Pode diversificar por tipo de ativo...

Os diferentes tipos de ativos – como ações, obrigações e imóveis – tendem a comportar-se de forma distinta em várias condições de mercado, num determinado ponto no ciclo económico. Como resultado, é muito provável que o desempenho varie bastante entre tipos de ativos.

Se pretender maximizar o seu investimento durante um longo período de tempo, pode optar por investir preferencialmente em ações de empresas — é provável que lhe ofereça um maior potencial de crescimento a longo prazo. Contudo, caso se esteja a aproximar da reforma e pretenda perseverar património e obter um rendimento regular, pode optar por investir um maior peso da sua carteira em obrigações.

... ou geograficamente

A diversificação geográfica baseia-se na ideia de que os mercados financeiros em diversas partes do mundo podem comportar-se de forma diferente uns dos outros, em momentos distintos.

Embora investir globalmente acarrete o seu próprio nível de risco, tal opção deve ser ponderada à luz do potencial de maiores retornos, que podem resultar da exposição a empresas com modelos de negócio, mercados e padrões de consumo alternativos. Em alternativa, pode deixar que os especialistas façam o trabalho por si.

Investimentos multiativos

Os fundos multiativos estão a tornar-se cada vez mais populares junto dos investidores. Tendo em conta as constantes mudanças nos mercados, poderá sentir-se mais descansado se colocar as decisões sobre a distribuição dos seus investimentos nas mãos de gestores de fundos especialistas que procuram obter o equilíbrio adequado entre classes de ativos, no momento certo, para os seus clientes. 

Os gestores ativos de multiativos acompanham a repartição dos ativos nos seus fundos e podem mudar o montante detido num determinado tipo de ativo como resposta a movimentos nos mercados, se e quando necessário. Desta forma, procuram otimizar os retornos gerados por estas oportunidades, ao mesmo tempo que minimizam os potenciais riscos.

Como ninguém sabe ao certo qual será o desempenho de um determinado tipo de ativo no futuro, ou quais serão as condições económicas, é importante que invista de acordo com o nível de risco pessoal que está preparado para assumir de maneira a estar melhor posicionado para concretizar os seus objetivos.

O valor dos ativos de um fundo pode diminuir e aumentar, o que fará com que o valor do investimento desça e suba, pelo que o investidor poderá receber menos do que inicialmente investiu.

As opiniões expressas neste documento não devem ser consideradas como sendo uma recomendação, conselho ou previsão.

 Não nos é possível dar conselhos financeiros. Caso tenha qualquer dúvida sobre a adequação do seu investimento, deverá falar com o seu consultor financeiro.

Esta informação não é uma oferta nem uma solicitação de uma oferta para a aquisição de um investimento em acções em nenhum dos Fundos aqui referidos. As Aquisições de um Fundo deverão ter por base o Prospecto actual. O Acto de Constituição, Prospecto, Informações Fundamentais destinadas aos Investidores, Relatório de Investimento e Demonstrações Financeiras, estão disponíveis gratuitamente na M&G International Investments S.A.  Antes de subscreverem títulos, os investidores devem ler o Prospeto, que inclui uma descrição dos riscos de investimento relativos a estes fundos. Esta divulgação financeira é publicada pela M&G International Investments S.A. Sede: 16, boulevard Royal, L2449, Luxembourg. A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, (a “CMVM”) recebeu a notificação do passaporte, nos termos da Directiva 2009/65/CE do Parlamento Europeu e do Conselho e do Regulamento da Comissão (EU) 584/2010, permitindo que o fundo seja distribuído ao público em Portugal.  

Noticias relacionadas