As infraestruturas são essenciais para fazer face às alterações climáticas

3 min para ler 22 dez 21

Queira por favor consultar o glossário para uma explicação sobre os termos de investimento utilizados ao longo deste artigo.

As alterações climáticas são o maior problema que o mundo enfrenta atualmente. E enquanto os decisores políticos procuram formas de combater o aquecimento global, estou convencido de que, provavelmente, o setor das infraestruturas irá desempenhar um papel preponderante.

Uma parte essencial da vida quotidiana

Todos os dias, e sem que tenhamos consciência disso, dependemos de infraestruturas. Muitas das nossas rotinas diárias, desde preparar uma chávena de café até ao envio de um email, dependem da existência de uma rede de infraestruturas físicas cujos serviços permitem ao mundo moderno funcionar sem sobressaltos.

Penso que as empresas que detêm e exploram estes ativos físicos essenciais representam uma atrativa fonte de oportunidades de investimento. Tendo em conta a importância das infraestruturas no tecido da sociedade moderna e a longa duração dos ativos, acredito que, potencialmente, podem gerar fluxos estáveis e crescentes para os investidores ao longo de muitos anos.

O valor dos ativos do fundo pode diminuir e aumentar, o que fará com que o valor do investimento desça e suba, pelo que o investidor poderá receber menos do que inicialmente investiu.

Procuramos oportunidades para além da esfera das infraestruturas tradicionais compostas pelas empresas de serviços públicos e transportes, enveredando pela diversificação para áreas como a saúde e a educação, sem descurar as infraestruturas de comunicação e redes de transações.

Os riscos em matéria ambiental, social e de governação (ESG) e a oportunidade no setor das infraestruturas

As considerações em matéria ambiental, social e de governação (ESG) são cada vez mais importantes para os investidores. Em relação ao setor das infraestruturas, o maior problema é, sem dúvida alguma, as alterações climáticas, devido ao fato de as áreas da produção de energia e dos transportes contribuírem significativamente para as emissões de gases com efeito de estufa.

Embora reconheça que existem riscos ambientais associados aos ativos de infraestruturas, estou convencido de que as empresas de serviços públicos também podem ser centrais para a solução ao facilitarem a “transição energética”, isto é, a passagem dos combustíveis fósseis para formas de produção de eletricidade mais limpas.

Tendo em conta que os decisores políticos e os investidores estão cada vez mais concentrados no combate às alterações climáticas, consideramos que existem diversas áreas interessantes onde as empresas de infraestruturas podem ajudar a reduzir as emissões de carbono a nível mundial.

As empresas de infraestruturas e o caminho para a neutralidade carbónica

A difusão de energias renováveis é, a meu ver, a oportunidade mais óbvia e imediata para alcançar a neutralidade carbónica. E, na minha opinião, a oportunidade de crescimento nesta área é imensa. É de âmbito mundial. É fomentada pela tecnologia, incluindo um aumento dos parques eólicos offshore e outras formas de produção de energia renovável.

Embora as renováveis sejam a oportunidade mais óbvia quando se trata de descarbonização, não constituem o único elemento da transição. Identificámos oportunidades nas empresas que estão a descarbonizar a sua própria matriz de eletricidade, ao converterem, substituírem e desativarem formas de produção de eletricidade mais dependentes do carbono.

Aquilo que importa compreender é que a transição energética é precisamente isso – uma jornada. Em muitas partes do mundo, sobretudo nos mercados emergentes, as renováveis não podem substituir toda a produção que atualmente depende do carbono. Neste contexto, acreditamos que a utilização dos combustíveis de transição, em especial o gás natural, para substituir a produção a carvão, por exemplo, por um combustível fóssil mais limpo, representa uma oportunidade significativa. Em última análise, o objetivo é substituir a energia gerada pelos combustíveis fósseis, mas, por enquanto, esta energia é fundamental para a transição, para que a sociedade e as economias continuem a funcionar.

Numa perspetiva a mais longo prazo, o hidrogénio verde (gerado a partir de energias renováveis) é um dos combustíveis que irá ajudar-nos no percurso rumo à neutralidade carbónica e à descarbonização da produção de eletricidade. Ainda que a tecnologia esteja numa fase embrionária e, de momento, não seja economicamente viável em larga escala, este combustível de futuro representa uma solução climática promissora, na minha perspetiva. Já há empresas que estão a investir na produção de hidrogénio, testando a utilização de hidrogénio no fluxo do gás natural. E, além disso, é obviamente o combustível com a queima mais limpa que descobrimos até à data no planeta.

À medida que é cada vez mais urgente avançar para um futuro com emissões zero de dióxido de carbono, penso que o setor das infraestruturas tem um importante papel a desempenhar na concretização deste objetivo através da transição energética. Com o potencial de gerar resultados positivos para a sociedade e um atrativo retorno sobre o investimento, estou convencido de que o investimento em infraestruturas pode ser uma possibilidade rentável a longo prazo.

O valor e o rendimento dos ativos do fundo tanto podem descer como subir. Consequentemente, o valor do seu investimento irá descer e subir. Não é possível garantir que o objetivo do fundo será alcançado e poderá receber um montante inferior ao investido inicialmente.

As opiniões expressas neste documento não devem ser consideradas como sendo uma recomendação, conselho ou previsão.

Não nos é possível dar conselhos financeiros. Caso tenha qualquer dúvida sobre a adequação do seu investimento, deverá falar com o seu consultor financeiro.

Por Alex Araujo

O valor dos investimentos irá flutuar, o que fará com que os preços caiam, bem como aumentem, e você pode não recuperar o valor original investido. O desempenho passado não é um guia para o desempenho futuro.

Noticias relacionadas