Investir na reforma: há espaço para o crescimento?

4 min para ler 3 jun 21

Queira por favor consultar o glossário para uma explicação sobre os termos de investimento utilizados ao longo deste artigo.

À medida que foi construindo a sua carteira de investimentos ao longo das décadas, muito provavelmente, centrou-se, acima de tudo, no crescimento procurando maximizar o valor das suas poupanças.

Ao invés, na reforma é possível que a sua prioridade seja gerar rendimento a partir dos investimentos e não tanto a valorização do capital. Afinal de contas, abrir as torneiras para um fluxo extra de rendimentos pode ajudá-lo a concretizar as suas ambições.

Mesmo que agora a sua prioridade seja o rendimento, talvez faça sentido manter parte dos seus investimentos direcionados para o crescimento. Pode parecer contraintuitivo, mas vamos ver quatro formas de o fazer.

Não esquecer a inflação

A inflação é o inimigo de todos os aforradores, mas sobretudo daqueles que dependem das suas poupanças e investimentos para obter um rendimento. Se a rentabilidade não acompanhar a subida dos preços dos bens e serviços, as poupanças e os investimentos valerão menos em termos reais.

Ao investir parte da sua carteira numa perspetiva de crescimento, pode tentar compensar parte dos efeitos erosivos da inflação, se for bem-sucedido. Afinal de contas, normalmente os ativos valorizam se apresentarem um bom desempenho ou se as perspetivas melhorarem, embora nunca haja garantias no que toca ao investimento.

Diversificar as abordagens

Diferentes abordagens ao investimento podem, não raras vezes, apresentar um desempenho díspar nas mesmas circunstâncias. Por exemplo, as estratégias mais ambiciosas focadas no crescimento tendem a apresentar um comportamento mais cíclico do que determinadas estratégias de rendimento, isto é, tendem a superar os mercados quando estes estão em alta, mas ficam aquém quando os investidores estão mais pessimistas.

Como tal, a alocação de parte da sua carteira a estratégias focadas no crescimento pode servir de contrapeso aos ativos geradores de rendimento mais estáveis, desde que possa aceitar os riscos, que muitas vezes são maiores quando aposta no crescimento. Em geral, quanto mais riscos assume, maior poderá ser a valorização (ou desvalorização) do seu investimento.

O valor dos ativos de um fundo pode diminuir e aumentar, o que fará com que o valor do investimento desça e suba, pelo que o investidor poderá receber menos do que inicialmente investiu.

Não ficar de fora

Ao longo da última década, as empresas tecnológicas estiveram entre os melhores títulos para se investir1. No entanto, uma pessoa que tenha investido apenas com o intuito de gerar rendimentos provavelmente não aproveitou a incrível valorização destas ações.

Tal ocorre porque as empresas emergentes – e não apenas no setor tecnológico – raramente geram rendimentos para os acionistas sob a forma de dividendos dado que reinvestem os lucros (caso tenham) com vista ao crescimento futuro.

Ao investir parte da sua carteira em empresas com perspetivas de crescimento a mais longo prazo, arrisca-se a não ficar de fora quando surgirem as próximas oportunidades. 

Construir um legado

Se a sua ideia é deixar parte dos seus investimentos às gerações futuras, porventura fará mais sentido adotar uma abordagem a mais longo prazo e dar a essas poupanças mais hipóteses de crescerem.

Quando investe para alguém mais jovem, é muito provável que o horizonte de investimento dessa pessoa seja medido em décadas e não meses. Como tal, deve conseguir adotar uma verdadeira visão a longo prazo e dar prioridade à valorização dos investimentos, ignorando as inevitáveis flutuações a curto prazo no valor dos ativos ou as considerações em matéria de rendimento.

Em função do seu horizonte temporal e atitude face ao risco, as estratégias de investimento destinadas à valorização do capital podem contribuir de forma importante para a sua segurança financeira a longo prazo e possivelmente para a da sua família.

As opiniões expressas neste documento não devem ser consideradas como sendo uma recomendação, conselho ou previsão. Não nos é possível dar conselhos financeiros. Caso tenha qualquer dúvida sobre a adequação do seu investimento, deverá falar com o seu consultor financeiro. O valor e rendimento dos ativos de um fundo diminuirão e também aumentarão, o que fará com que o valor do investimento desça e suba, pelo que o investidor poderá receber menos do que inicialmente investiu. O desempenho no passado não é indicativo do desempenho no futuro.

Esta informação não é uma oferta nem uma solicitação de uma oferta para a aquisição de um investimento em acções em nenhum dos Fundos aqui referidos. As Aquisições de um Fundo deverão ter por base o Prospecto actual. O Acto de Constituição, Prospecto, Informações Fundamentais destinadas aos Investidores, Relatório de Investimento e Demonstrações Financeiras, estão disponíveis gratuitamente na M&G International Investments S.A. Antes de subscreverem títulos, os investidores devem ler o Prospeto, que inclui uma descrição dos riscos de investimento relativos a estes fundos. Esta divulgação financeira é publicada pela M&G International Investments S.A. Sede: 16, boulevard Royal, L 2449, Luxembourg. A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, (a “CMVM”) recebeu a notificação do passaporte, nos termos da Directiva 2009/65/CE do Parlamento Europeu e do Conselho e do Regulamento da Comissão (EU) 584/2010, permitindo que o fundo seja distribuído ao público em Portugal.

1 Fonte: https://www.cnbc.com/2019/12/13/the-best-performing-stocks-of-the-decade-it-all-starts-with-netflix.html

Related insights