Uma economia circular: um contributo para a neutralidade das emissões de carbono

4 min para ler 31 ago 21

Queira consultar o glossário para uma explicação sobre os termos de investimento utilizados ao longo deste artigo.

A maioria dos países já aceitaram o desafio de reduzir a zero, em termos líquidos, as emissões de gases com efeito de estufa até 2050.  A necessidade de substituir as atividades baseadas em combustíveis fósseis por fontes de energia mais limpas ocupa um lugar central.  Contudo, se quisermos atingir este objetivo, a adoção da economia circular será tanto uma necessidade como também uma das formas mais fáceis de diminuir as emissões.

Por economia circular, entende-se a adoção de um sistema económico que visa a eliminação do desperdício e a utilização contínua dos recursos. Os sistemas circulares baseiam-se na redução, reutilização e reciclagem para criar um sistema de circuito fechado, que minimiza a utilização de recursos e a criação de resíduos, poluição e emissões de carbono.  A economia circular surje como contraponto à abordagem “extrair-produzir-descartar” dos modelos de negócio tradicionais e lineares. 

Sob a perspetiva económica, o sistema circular tem como objetivo manter os produtos, equipamentos e infraestruturas em utilização durante mais tempo, assim aumentando a produtividade desses recursos.

A deposição dos resíduos nos aterros sanitários é uma importante fonte de emissões de carbono. Mediante a constante reutilização dos recursos e evitando a deposição em aterros, estaremos a contribuir positivamente para o nosso planeta e as nossas próprias finanças.

O valor dos ativos de um fundo pode diminuir e aumentar, o que fará com que o valor do investimento desça e suba, pelo que o investidor poderá receber menos do que inicialmente investiu.

A escala da oportunidade

*https://www.ellenmacarthurfoundation.org

Enquanto a redução das emissões relacionadas com a energia continua a ser o fator mais importante para alcançarmos a neutralidade carbónica, a transição para a economia circular constitui uma oportunidade para reduzir as emissões globais até 20%.

A reciclagem de produtos desde o cobre até ao plástico significa que poupamos energia ao evitarmos a extração e criação de materiais virgens.  Os aspetos económicos também favorecem muito mais a reutilização e a reciclagem do que a compra de materiais virgens.

À medida que a regulamentação vai evoluindo para alcançarmos zero emissões líquidas até 2050, não devemos ficar surpreendidos se nos próximos anos ouvirmos falar cada vez mais na promoção e adoção de uma economia mais circular.

Tal constatação é apoiada por um estudo da Accenture que calcula que a economia circular poderá gerar 4,5 biliões de USD de produto económico adicional até 2030. O trabalho da Accenture identifica modelos de negócio circulares que ajudarão a dissociar o crescimento económico do consumo de recursos naturais, ao mesmo tempo que incentivam uma maior competitividade.  

Na M&G, identificámos uma lista de empresas que promovem uma economia circular no âmbito dos seus modelos de negócio:

A Ball Corp é a maior fabricante mundial de latas de alumínio. Como o alumínio pode ser reciclado infinitamente, 75% de todo o alumínio alguma vez produzido ainda continua a ser utilizado hoje em dia. A taxa de reciclagem global das latas de alumínio é 69% sustentada no facto de o produto residual ter um valor económico e poder ser facilmente separado durante o processo de recolha. Apenas 43% das garrafas PET (plástico) e 46% das garrafas de vidro foram recolhidas para reciclagem, embora não tenham sido necessariamente recicladas.

As maiores taxas de recolha para reciclagem e os maiores rendimentos da reciclagem conduzem a uma maior circularidade das latas de alumínio e, mais importante ainda, a menos materiais que acabam nos aterros ou incinerados quando comparados com os materiais em PET e vidro.  

  • Impacto: A Ball Corp ajuda a poupar 4,25 milhões de toneladas de CO2 por ano.  Tal equivale a retirar 945.000 carros a gasolina das estradas todos os anos1.

A Brambles é uma empresa de logística da cadeia de abastecimento que está presente em mais de 60 países.  Gere uma plataforma de mais de 300 milhões de paletes e grades que são a espinha dorsal invisível das cadeias de abastecimento global, servindo principalmente as indústrias dos bens de grande consumo, produtos frescos, bebidas, retalho e setor transformador em geral. As maiores marcas do mundo confiam na Brambles para o transporte de artigos essenciais de forma mais eficiente, segura e sustentável.  As paletes e grades são feitas de madeira e constantemente recicladas.

  • Impacto: A Brambles ajuda a poupar 1,95 milhões de toneladas de CO2 por ano.  Tal equivale à reciclagem de 650.000 toneladas de resíduos que, assim, não são enviados para um aterro sanitário2.

A Darling Ingredients é líder mundial em matéria de reciclagem de produtos à base de carne e óleos de cozinha. Converte estes produtos em alimentos, rações para animais, produtos para indústria farmacêutica e combustíveis. Ao transformar os subprodutos da carne, o carbono é capturado e reutilizado, em vez de ser libertado na atmosfera como um gás com efeito de estufa.  A Darling Ingredients conta com uma rede de distribuição de 128.000 pontos de recolha únicos nos EUA.

  • Impacto: Em 2019, as emissões de Âmbito 1 e 2 da Darling Ingredients* foram 1,8 milhões de toneladas de CO2, mas a empresa poupou 5,5 milhões de toneladas de CO2. Tal resulta num impacto climático positivo líquido de 3,65 milhões de toneladas de CO2.  Um valor equivalente ao total anual de emissões estimadas da cidade de Leeds no Reino Unido3.

*As emissões de Âmbito 1 são todas as emissões diretas das atividades de uma organização ou sob o seu controlo, incluindo a combustão de combustíveis nas instalações, de veículos propriedade da empresa e emissões evasivas. As emissões de Âmbito 2 são emissões indiretas da eletricidade comprada e usada pela organização. As emissões serão criadas durante a produção de energia e acabarão por ser utilizadas pela organização.

A DS Smith é líder em embalagens sustentáveis, exemplificando o potencial da reciclagem em circuito fechado – um processo mediante o qual os resíduos são recolhidos, tratados e reutilizados para fazer o mesmo produto. Ao utilizar materiais recicláveis nas suas caixas de cartão canelado, a M&G calcula que esta empresa britânica poupa 55 milhões de árvores por ano.

O principal cliente da DS Smith é a gigante Amazon, o que confere às operações da DS Smith uma escala e um impacto enormes.

  • Impacto: As operações da DS Smith geram uma poupança líquida de pouco mais de 650.000 toneladas de CO2 por ano. Tal equivale ao abastecimento elétrico sem emissões de 120.000 casas4.

A Trex é a maior fabricante mundial de decks compósitos. Os decks compósitos são mais sustentáveis e têm melhores credenciais de sustentabilidade do que as alternativas em madeira, que constituem a maior parte do mercado de decks. A Trex também tem a sua própria rede para recolher o plástico e a madeira usados, o que impede o envio dos materiais para os aterros sanitários. Em comparação com os decks em madeira, os decks em compósito da Trex são mais sustentáveis, duradouros e fáceis de manter. Além disso, não implicam muitos dos aspetos da produção e manutenção dos decks de madeira que obrigam a uma utilização intensiva de recursos. 

  • Impacto: Em 2019, os decks da Trex emitiram 42% menos de emissões de gases com efeito de estufa do que os decks de madeira tratados com quaternário de cobre alcalino (ACQ)5.

Fonte para case studies: sítios Web das empresas Ball Corporation, Brambles, Darling Ingredients, DS Smith e Trex. Estes números baseiam-se nas últimas informações disponíveis através dos documentos e relatórios das empresas.

As opiniões expressas neste documento não devem ser consideradas como sendo uma recomendação, conselho ou previsão. Não nos é possível dar conselhos financeiros. Caso tenha qualquer dúvida sobre a adequação do seu investimento, deverá falar com o seu consultor financeiro.

Esta informação não é uma oferta nem uma solicitação de uma oferta para a aquisição de um investimento em acções em nenhum dos Fundos aqui referidos. As Aquisições de um Fundo deverão ter por base o Prospecto actual. O Acto de Constituição, Prospecto, Informações Fundamentais destinadas aos Investidores, Relatório de Investimento e Demonstrações Financeiras, estão disponíveis gratuitamente na M&G International Investments S.A. Antes de subscreverem títulos, os investidores devem ler o Prospeto, que inclui uma descrição dos riscos de investimento relativos a estes fundos. Esta divulgação financeira é publicada pela M&G International Investments S.A. Sede: 16, boulevard Royal, L 2449, Luxembourg. A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, (a “CMVM”) recebeu a notificação do passaporte, nos termos da Directiva 2009/65/CE do Parlamento Europeu e do Conselho e do Regulamento da Comissão (EU) 584/2010, permitindo que o fundo seja distribuído ao público em Portugal.

1 Fonte: https://nepis.epa.gov/Exe/ZyPDF.cgi?Dockey=P100U8YT.pdf

2 Fonte: Brookfield Renewable Partners III report (pág. 24).

3 Fonte: Leeds Carbon Roadmap report, pág. 2

4 Fuente: Brookfield Renewable Partners III report (pág. 24).

5 Fonte: A fonte da informação vem do relatório de sustentabilidade da empresa, disponível em seu site. trex-sustainability-report-catalog_d15-sspdf.pdf  (Pág. 31)

Por Randeep Somel

Related insights